Estou com nódulo de tireoide, e agora?

Entenda como são diagnosticados, tratados e o que fazer quando um nódulo for localizado.

Um nódulo de tireoide é uma massa de tecido da própria tireoide que cresceu ou um cisto cheio de líquido que se forma nela.

Por que eles surgem?

As chances de desenvolver nódulos aumenta à medida que você envelhece. Embora sintomas não sejam comuns, um nódulo grande pode, às vezes, causar dor, rouquidão ou atrapalhar a engolir ou respirar.

Os médicos investigam e se preocupam com nódulos da tireoide porque eles podem às vezes ser cancerígenos. O câncer de tireoide é encontrado em cerca de 8% dos nódulos nos homens (8 em cada 100) e em 4% dos nódulos em mulheres. Assim, cerca de 90% dos nódulos de tireoide são benignos. A incidência atual de câncer de tireoide não ultrapassa 24 casos por 100.000 habitantes, mas essa taxa vem aumentando nos últimos anos, e hoje é a quarta neoplasia maligna mais frequente nas mulheres brasileiras. Porém esse aumento se deve principalmente pelo aumento do número de diagnósticos e pela maior investigação dos nódulos nos últimos anos.

A causa da maioria dos nódulos benignos não é conhecida, mas eles são, muitas vezes, encontrados em membros de uma mesma família. Em âmbito mundial, a deficiência de iodo na dieta é uma causa muito comum de nódulos. Estudos epidemiológicos conduzidos em áreas suficientes em iodo têm demonstrado que 4% a 7% das mulheres e 1% dos homens adultos apresentam nódulo palpável. Entretanto, estudos ultrassonográficos demonstram que esta prevalência é ainda maior, variando de 19% a 67%, com maior incidência em mulheres e idosos.

Faça o autoexame! É simples:

Para realizar o autoexame, você vai precisar de um espelho com cabo e um copo d’água.

1. Segure o espelho procurando em seu pescoço a região abaixo do pomo de Adão (gogó). Sua tireoide está localizada nesta área.

2. Focalize esta área com o espelho estendendo a cabeça para trás para facilitar a visualização.

3. Beba um gole d’água.

4. Ao engolir, observe em seu pescoço se existe alguma saliência ou elevação localizada. Repita este teste várias vezes, se necessário.

5. Observe se existe algum nódulo ou saliência. Ao notar alguma alteração, procure um endocrinologista para obter orientações.

O que fazer ao se detectar a presença de um nódulo no pescoço?

Ou também naqueles casos em que nódulos são achados ocasionais no ultrassom de tireoide, deve-se procurar um médico endocrinologista para uma avaliação adequada.

Para reunir mais informações sobre o nódulo, o médico pode solicitar um ou mais dos seguintes exames:

• Ultrassonografia da tireoide com doppler colorido: é o principal método de imagem no diagnóstico dos nódulos tireoidianos. É realizada para obter um retrato exato da tireoide e ver se o nódulo é sólido ou preenchido com fluido (cisto). Embora esse exame não possa dizer se o nódulo é canceroso, é muito útil para guiar uma agulha usada para aspirar as células do nódulo. Este procedimento é chamado de “punção aspirativa guiada por agulha fina” (PAAF).

• PAAF: punção do nódulo com agulha fina (a fim de se obter material para análise microscópica), que, quando bem indicada, é o melhor exame para determinar se o nódulo é benigno ou maligno (câncer).

• Cintilografia de tireoide: utiliza uma pequena quantidade de iodo radioativo e uma câmera especial para obter uma imagem da tireoide e saber se o nódulo é hipo ou hiperfuncionante. O nível de atividade pode fornecer pistas para saber se ele pode ou não ser câncer de tireoide. Este procedimento geralmente é feito quando o seu médico suspeitar que você possa ter um nódulo produtor de hormônio (nódulo quente).

• Exames de laboratório para verificar as dosagens dos hormônios produzidos pela tireoide. Embora a grande maioria dos nódulos não interfira na produção dos hormônios, uma pequena porcentagem pode ser hiperfuncionante (produz mais hormônio que o resto da glândula).

Como os nódulos da tireoide são tratados?

O tratamento depende do tipo de nódulo. Especialistas recomendam a remoção cirúrgica da tireoide apenas para nódulos malignos ou suspeitos.

A cada 6 a 12 meses, seu médico precisa monitorar todos os nódulos de tireoide que não foram removidos através de exame físico e ultrassom.

Perguntas a serem feitas ao seu médico

• Que tipo de nódulos que eu tenho?

• Estou em risco para o câncer de tireoide?

• Qual o tratamento que preciso?

• Quais são os riscos e benefícios de cada uma das minhas opções de tratamento?

• Devo ser acompanhado por um endocrinologista?

REFERÊNCIAS

http://www.endocrino.org.br/entendendo-tireoide-nodulos/Doença Nodular da Tireoide: Diagnóstico- Projeto Diretrizes- Sociedade Brasileira de Endocrinologia e metabologia, 2011.Nódulo tireoidiano e câncer diferenciado de tireoide: atualização do consenso brasileiro Arq Bras Endocrinol Metab. 2013;57/4